“O futuro do futebol é o sócio torcedor”, afirma Rodrigo Ferreira

No Resenha desta terça-feira, o assunto em debate foi o perfil do torcedor rubro-negro. Com o aumento no preço de ingressos, uma parcela da torcida não encontra condições de ir toda semana ao estádio. O tema ficou mais evidente depois que a foto do Sr. Expedito “viralizou” na internet (confira a matéria exclusiva da TV Coluna do Flamengo com o personagem).

 

No programa, o comentarista Rodrigo Ferreira disse concordar com aqueles que reclamam do preço da entrada, que tem chegado, em alguns casos, a R$200,00. O problema, segundo o comentarista está na relação clube-Governo. O Estado do Rio de Janeiro tem diversas leis que garantem gratuidade para idosos, menores de 12 anos e pessoas com deficiência. Já estudantes e menores de 21 anos, com documentação, pagam meia-entrada.

“Não dá para conceber isso, um torcedor comum pagar R$200 para assistir a um jogo de futebol. A verdade é: o Governo do Rio de Janeiro faz caridade com o dinheiro dos outros. A meia-entrada só sai do bolso da iniciativa privada, no caso, o Flamengo. Não tem para onde o Flamengo fugir. Quantas pessoas falsificam carteiras para receber meia-entrada? Quantas pessoas armam falcatruas para fazer isso? Entendo quem reclama. Realmente R$200 é muito, para quem não é estudante e não pode arcar com o sócio torcedor”.

Por isso, para o comentarista, o caminho é investir mais no sócio torcedor. “O futuro do esporte, do futebol é o sócio torcedor. O clube, infelizmente não tem para onde correr”, finalizou.

Fonte: https://colunadoflamengo.com/2017/07/o-futuro-do-futebol-e-o-socio-torcedor-afirma-rodrigo-ferreira/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *